Cada Minuto

buscar

Postado em por Redação em NotíciasMaceió

"Fazer justiça com as próprias mãos fortalece o crime organizado em Alagoas"

"Não adianta todo mundo estar armado", diz sociólogo

Por Redação

A falta de investimento na segurança pública já vem sendo usada por muitas pessoas em Alagoas como justificativa para fazer justiça com as próprias mãos. A morte de supostos traficantes e assaltantes é comemorada pela população, que em alguns casos contribui para o desfecho trágico, a exemplo de um caso ocorrido no último dia 7, em que Erinaldo André de Oliveira, 40, foi assassinado pela vítima do assalto que ele tentou cometer junto com um jovem de 17 anos, que ficou ferido na cabeça.

A teoria de que ‘quanto mais bandidos morrerem melhor para a sociedade’ é questionada por especialistas, sob justificativa de que a sociedade pode caminhar para a barbárie com esse pensamento. Mas, segundo o sociólogo Paulo Décio de Arruda Mello, em Alagoas a cultura de violência vem se perpetuando e teve início ainda na época da escravidão, nos engenhos de açúcar e mais recentemente, com os coronéis da política, que usam a força para dominar os eleitores.

“É uma ilusão achar que no Estado há uma cultura de paz. Mas, com a queda do poder nos engenhos o poder público passou a ser responsável pela segurança da população, só que as autoridades não se prepararam. O aumento da violência já é uma tendência mundial e é fruto de um conjunto de fatores que devem ser tratados concomitantemente. Trata-se de medidas de controle permanente para que haja um resultado a médio prazo, como na educação”, ressaltou.

O sociólogo lembrou que a morosidade da justiça no Estado também contribui para a revolta da população e ainda, que novas situações, como o tráfico de drogas vêm intensificando a violência. “O problema com a justiça é antigo. Em Alagoas crimes passionais sempre foram cometidos em nome da honra. Recentemente o crack chegou e em uma sociedade pobre e desigual ele é ainda mais devastador”, lembrou.

Para ele, a ineficiência das polícias e a falta de ações preventivas geram na população uma reação em cadeia e as pessoas passam a ver o crime e a morte como algo natural. O sociólogo destacou que é preciso haver um serviço de inteligência e mais investimento na segurança pública para resolver os crimes. “As pessoas estão cansadas de se sentirem impotentes diante disso. É uma revolta natural, mas preocupante. São reações imediatas, mas em geral baboseiras do senso comum. Se não houver uma mudança de pensamento todos vão se transformar em bandidos, fazendo justiça com as próprias mãos", destacou.

Paulo Décio afirmou que violência só gera violência e ainda, que se trata de um círculo vicioso, que pode virar barbárie. Ele destacou que é preciso respeitar os critérios democráticos. “Se continuar assim em breve as pessoas não terão direito a defesa e a lei do mais forte vai imperar. Isso fortalece o crime organizado e o surgimento de milícias. Os jovens precisam de oportunidades de trabalho, cultura, esporte, lazer para evitar que agentes nocivos tenham um papel devastador. Não vai solucionar o problema se cada cidadão tiver um revólver”, ressaltou.

Deixe seu comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

  • O FARISEU

    O FARISEU

    Nos Eua tem nego mofando na cadeia por assassinatos cometidos há mais de 40 anos...mais um teórico de universidades com curriculum ultrapassados, blá-blá-blá...lero-lero e palavras ao vento.....prisão perpétua nesses perturbadores da ordem social...tenho dito e data vênia.

  • junior

    junior

    Não existe inficiência da policia, o q existe e uma falta de punição, de q adianta condenação de 3,4,5, etc, anos se vem a progressão, quando o pai de familia e morto, não tem advogado q solte e obandido logo solto porque merece ter uma nova chance e o pai a mãe de familia e q sempre perde

  • Provincia das Alagoas

    Provincia das Alagoas

    Milton Ramos dos Santos, taxista em Arapiraca há 20 anos, fora assassinado de forma covarde e brutal(amarrado pés e mãos e executado com um tiro na região da tempora e nuca)em 2008, e tudo leva crer que o assassinato fora por motivo torpe e não latrocinio!A impunidade SIM fortalece a VIOLENCIA!!!

  • Paulo Chen

    Paulo Chen

    Isso eh piada !!??

  • TEOFANES DE SOUZA

    TEOFANES DE SOUZA

    Parabens Paulo Decio, em tão pouco espaço sintetizar a causas da violencia . Infelizmente, algumas pessoas querem voltar a barbarie.

  • JUNIOR

    JUNIOR

    SERÁ QUE ESSE DR. JÁ TEVE UM PARENTE AMADO ASSASINADO,E DEPOIS DA FAMILIA GASTAR TUDO QUE TEM O BANDIDO OU FICA LIVRE OU PEGA UNS 14 ANOS NÃO CUMPRE NADA E AINDA PASSA NA SUA PORTA,PRA TIRAR UMA ONDA,NESSA SÓ QUEM GANHA SÃO OS QUE FAZEM ESSAS PESQUISAS RIDICULAS.

  • Adriel Batista Correia De Melo

    Adriel Batista Correia De Melo

    Maceió,12/06/2010 ANDRÉ. Muito bem pelos seus cometários.Baboseira quem fala são esses sociólogos. Deve -se tomar a 'Lei de Talião".O bandido só conhece a lei da força.Eu não tenha a mínima pena(como ele),de bandidos,seja ele de que classe for.Devem ser eleimina- dos totalmente.

  • Caronte

    Caronte

    Mais um teórico ! "Seu" sociologo leve os bandidos para sua casa e faça voce mesmo a ressocialização deles. Hipócritas ! Exigimos segurança e paz, chega de bla, bla, bla de teóricos inúteis.....

  • Anti-sociólogo

    Anti-sociólogo

    Concordo em gênero,número e grau com o Sr. Arlindo José de Lira. Parabéns pelo comentário

  • nandocordel2008

    nandocordel2008

    concordo plenamente com o pensamento do sociologo, porque quando a pessoas passarem a resolver seus problemas com o uso da força, ai então qualquer diferença será resolvida na bala;então teremos o caos absoluto na sociedade.é preciso que medidas urgentes sejam aotadas em todos os campos sociais ...