Postado em 19/09/2010 às 05:01 por Redação em Política

Dilma quer rigor em investigação de nova denúncia na Casa Civil

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, defendeu neste sábado a apuração de novas denúncias envolvendo ex-assessor da Casa Civil, ressalvando que ainda não havia tomado conhecimento de reportagem publicada pela revista Veja.

"Eu não tive acesso ainda a essa reportagem, mas eu tenho uma posição muito clara em relação a isso. Acredito que todas as denúncias têm de ser rigorosamente apuradas e investigadas e acredito que as pessoas culpadas têm de ser drasticamente punidas", disse Dilma a jornalistas em Campinas (SP).

Reportagem da revista Veja que circula neste final de semana afirma que Vinícius Castro, assessor da Casa Civil exonerado na segunda-feira, teria recebido 200 mil reais em seu gabinete. O dinheiro teria relação com uma compra de medicamentos pelo governo.

"Agora, eu quero dizer também o seguinte: eu tenho um histórico de vida pública. Jamais permiti, jamais abriguei práticas ilegais nas minhas proximidades e não faria isso também na minha campanha", afirmou Dilma.

Vinícius é sócio de Israel, filho da ex-ministra Erenice Guerra, que deixou o cargo na quinta-feira após denúncia envolvendo familiares. Ela substituiu Dilma no comando da Casa Civil quando a petista saiu para concorrer às eleições.

Segundo a revista, o relato foi revelado por um amigo de Vinícius que trabalhava no governo e por seu tio, Marco Antonio Oliveira, então diretor de Operações dos Correios.

Dilma participa em Campinas de comício com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Depois da demissão na quinta-feira, Erenice concedeu à revista IstoÉ que chegou às bancas neste final de semana sua primeira entrevista.

Disse que as denúncias, que chama de campanha difamatória, têm relação com o momento eleitoral. Afirmou que não acompanha o trabalho do filho Israel, acusado de realizar tráfico de influência dentro do governo em favor de empresas, mas disse que ele lhe garantiu que "em nenhum momento ultrapassou os limites da ética".

Postado em 19/09/2010 às 01:05 por Redação em Política

Lula diz que eleição de Mercadante em SP é questão de honra

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou neste sábado (18), durante um comício em Campinas, no interior de São Paulo, que é uma questão de honra eleger o seu companheiro de partido Aloizio Mercadante para o governo de São Paulo e que criará uma bolsa-família para que os tucanos não passem fome quando saírem do Palácio dos Bandeirantes.

Nesta reta final de campanha, Lula faz a última tentativa de alavancar a campanha de Mercadante para que haja a disputa do segundo turno da eleição em São Paulo. Em vários trechos de seu discurso, Lula pediu empenho para a eleição de Mercadante. Na fala, deu até palpite no programa eleitoral do petista.

"Queria que o Mercadante pudesse mostrar em seu programa de televisão algumas comparações entre este metalúrgico e o que os sociólogos fizeram antes de mim", disse. "Eles (PSDB) não gostam de comparação, odeiam que mostrem isso..."

Com o discurso direcionado ao PSDB, Lula pediu que os institutos de pesquisa visitassem a casa do candidato à presidência José Serra e do candidato ao govendo de São Paulo, Geraldo Alckmin, para aumentar o índice de rejeição ao seu governo.

"Não tem nada que faça um tucano sofrer mais do que isso. Eles têm um bico grande para falar e bico pequeno para fazer", disse. "Tucano não tem ouvido, só tem bico. Come até o filhote no ovo. Não há colher que encha aquele bico de comida", afirmou.

Segundo Lula, não é possível que São Paulo, "o Estado mais rico da federação, possa ter um retrocesso votando em alguém que não tem a alma do povo brasileiro, não pensa no povo brasileiro e não pensa no Brasil. O Mercadante, unido com a Dilma, poderá fazer muito por São Paulo", afirmou.

Com um discurso mais moderado, Mercadante aproveitou para falar do que considera "preços abusivos" do pedágio em São Paulo. "Só aqui em Campinas são mais de 20 praças de pedágio e não dá para continuar dessa maneira", disse.

 

Postado em 18/09/2010 às 11:52 por Redação em Política

Equívocos do Vox Populi não permitem divulgação

"Há dois motivos pelos quais não poderemos divulgar", diz advogado

A expectativa dos alagoanos em relação à divulgação do resultado da pesquisa do instituto Vox Populi em relação à intenção de votos para o governo do estado foi frustrada. De acordo com a Coligação Frente pelo Bem de Alagoas , há dois motivos pelos quais os números não podem nem serão divulgados.

"Primeiro, a pesquisa foi entregue cinco dias depois do prazo limite, o que já inviabilizou a sua divulgação. Além disso, foram registradas perguntas da coligação, dados que usamos para o controle interno", explicou Adriano Soares, advogado da coligação.

Ontem (17), o Blog do Yuri Brandão (www.cadaminuto.com.br/yuri-brandao) divulgou dados, que seriam relativos à pesquisa. O advogado, no entanto, informou que não poderia confirmar os números. Segundo o blog, Collor tem 32% da preferência dos eleitores, seguido de Téo Vilela, com 30%. Ronaldo Lessa aparece com 27%.

Postado em 18/09/2010 às 18:33 por Redação em Política

Coligação de Serra pede ao TSE multa contra Erenice Guerra

A coligação do candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, ajuizou na noite desta sexta-feira (17) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedido de multa à ex-ministra-chefe da Casa Civil Erenice Guerra. Ela é acusada de ter “desqualificado” Serra, adversário da candidata apoiada pelo governo na corrida ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff (PT), em nota divulgada na última terça-feira (14).

A nota foi divulgada dois dias antes de Erenice Guerra pedir demissão do cargo de ministra da Casa Civil depois das denúncias da revista “Veja” sobre um suposto esquema de tráfico de influência na pasta, envolvendo o filho dela, Israel Guerra.
No texto, Erenice afirma que haveria uma “indisfarçável” campanha de difamação contra ela e sua família e a favor de “um candidato aético e já derrotado, em tentativa desesperada da criação de um ‘fato novo’ que anime aqueles a quem o povo brasileiro tem rejeitado”. O texto não cita o nome de José Serra.

Na ação, os advogados de Serra alegam que ao se referir a um candidato “aético e já derrotado”, a ex-ministra “procurou de forma imprópria e indevida” imputar a referida campanha à candidatura do tucano.

Pela lei, Erenice pode ser condenada a pagar multa que varia de 5mil a 100 mil UFIR. O G1 entrou em contato com os advogados da ex-ministra, mas não obteve retorno.

A ação também cita a candidata Dilma Rousseff por ter se beneficiado do suposto ataque que Erenice teria feito ao candidato tucano na nota oficial.

“Ainda não fomos notificados. Essa representação deve ser arquivada. Por que não estaria beneficiando a Marina ou o Plíno? Por que dedução é imediata sobre serra? Esta ação é mais uma daquelas de desespero”, afirmou um dos advogados da campanha petista, Admar Gonzaga.

Abaixo, veja a íntega da nota questionada por José Serra:

"NOTA À IMPRENSA

1. Encaminhei aos Ministros Jorge Hage, da Controladoria-Geral da União, e Luis Paulo Teles, da Justiça, ofícios em que solicito que se procedam todas as investigações necessárias no sentido de apurar rigorosamente os fatos relatados em matéria publicada pela revista Veja, em sua edição mais recente, e que envolvem tanto minha conduta administrativa quanto a de familiares meus.

2. Espero celeridade e creio na exação e competência das autoridades às quais solicitei tais apurações.

3. Reafirmo ser fundamental defender-me de forma aberta e transparente das mentiras assacadas pela revista Veja. E assim o faço diante daquela que já é a mais desmentida e desmoralizada das matérias publicadas ao longo da história da imprensa brasileira.

4. Lamento, sinceramente, que por conta da exploração político-eleitoral, mais que distorcer ou inventar fatos, se invista contra a honra alheia sem o menor pudor, sem qualquer respeito humano ou, no mínimo, com a total ausência de qualquer critério profissional ou ética jornalística.

5. Chamo a atenção do Brasil para a impressionante e indisfarçável campanha de difamação que se inicia contra minha pessoa, minha vida e minha família, sem nada poupar, apenas em favor de um candidato aético e já derrotado, em tentativa desesperada da criação de um "fato novo" que anime aqueles a quem o povo brasileiro tem rejeitado.

6. Pois o fato novo está criado e diante dos olhos da Nação: é minha disposição inabalável de enfrentar a mentira com a força da verdade e resoluta fé na Justiça de meu país, sem medo e sem ódio.

Erenice Guerra
Ministra-Chefe da Casa Civil da Presidência da República

14 de setembro de 2010"

Postado em 18/09/2010 às 11:12 por Redação em Política

Em Santana, Teotonio fala sobre investimentos no hospital da cidade

Assessoria

A carreata chamava atenção de longe: uma centena de veículos se preparava para acompanhar a Caravana do Bem. A comitiva chegou no horário mais sagrado para os sertanejos, às 18 horas, momento dedicado a nossa Maria, mãe de Jesus Cristo. As badaladas dos sinos da Matriz se misturaram ao som dos fogos.

 

Após circular por quase toda a cidade, Teotonio discursou sob os pés de Nossa Senhora Santana, a padroeira da cidade. “Tenho um compromisso com os sertanejos e reafirmo minha obrigação em todas as cidades que visito: quero levar água a todas as famílias desse sertão, água boa, de consumo para as pessoas e para o gado”, declarou Vilela.

 

Hospital garantido

 

Na oportunidade, Teotonio ainda falou sobre o repasse de R$9 milhões para abrir o hospital da cidade, construído na gestão de seu antecessor, mas que nunca foi aberto. Além do recurso para finalmente abrir o Hospital, o governo está garantindo o repasse mensal de quase dois milhões de reais aos cofres do município, para colocar o hospital em funcionamento.

 

Outro reforço importante na saúde dos santanenses a da população dos municípios circunvizinhos é a instalação de uma Unidade de Pronto Atendimento, UPA, que deverá prestar os primeiros atendimentos aos pacientes que procuram ajuda médica. A UPA ajudará a reduzir o número de pessoas em hospitais de urgência e emergência, já que a maioria das pessoas só precisa do primeiro atendimento para problemas simples, como uma fratura ou até uma pequena cirurgia.

 

Gostinho de motocicleta

 

Após o comício, Teotonio visitou o Santana Moto Fest, evento que acontece há três edições e reúne motociclistas de Alagoas e outros estados do Nordeste. Aproveitando o embalo, o governador montou numa possante Xeldon 600 cilindradas e deu umas aceleradas “Só para sentir o gostinho”, disse sorrindo. Vilela ainda visitou dois comitês instalados na cidade.

 

Estiveram presentes as carreatas e caminhadas o candidato ao senado Benedito de Lira, os candidatos a Deputado Federal Alexandre Toledo e Rui Palmeira e os candidatos a Deputado Estadual Gilvan Barros, Marcos Ferreira, Chico da Capial e mais de doze prefeitos do sertão alagoano.

Postado em 18/09/2010 às 04:55 por Redação em Política

Veja intenções de voto à Presidência por sexo e região

Dilma e Serra

O Ibope divulgou, na noite de sexta-feira (17), mais uma pesquisa de intenção de voto para a Presidência da República. Na média nacional, segundo o levantamento, a candidata petista Dilma Rousseff tem 51%, contra 25% do tucano José Serra e 11% de Marina Silva (PV).

Além dos números gerais, o Ibope também calculou o percentual alcançado pelos candidatos em segmentos do eleitorado como sexo e nas regiões do país.

Eleitorado masculino e feminino

Entre os eleitores do sexo masculino, Dilma aparece com 54% das intenções de voto, contra 24% de Serra e 10% de Marina.
Já entre as mulheres, a petista tem 49%, o tucano, 25%, e Marina, 12%.

Por região

Há movimentações significativas nas intenções de voto por região.

No Norte/Centro-Oeste, Dilma caiu nove pontos percentuais: de 55% para 46%; Serra foi de 25% para 30%, e Marina, de 8% para 13%.
No Sudeste, Dilma subiu quatro pontos percentuais: de 44% para 48%; Serra caiu de 31% para 24% e Marina foi de 10% para 14%.
No Sul, Dilma caiu dois pontos percentuais: de 44% para 42%; Serra manteve 35%, e Marina foi de 5% para 10%.

Sobre a pesquisa

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Isso quer dizer que Dilma pode ter entre 49% e 53%; José Serra, entre 23% e 27%; e Marina Silva, entre 9% e 13%.

Dentre os demais candidatos – Eymael (PSDC), Ivan Pinheiro (PCB), Levy Fidelix (PRTB), Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU) –-, nenhum alcançou 1% das intenções de voto. Os eleitores que responderam que votarão em branco ou nulo somaram 4% e os que se disseram indecisos, 8%.

O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 205 municípios de 14 setembro a 16 de setembro. A pesquisa foi encomendada ao Ibope pela TV Globo e pelo jornal "O Estado de S. Paulo". A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 30271/2010.
 

Postado em 17/09/2010 às 16:58 por Redação em Política

Vox Voppuli: Dilma mantém vantagem e está 27 pontos à frente de Serra

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, mantém a vantagem em relação a seu principal adversário, José Serra (PSDB). Com 51%, Dilma aparece 27 pontos à frente de Serra, que tem 24%, segundo pesquisa Vox Populi divulgada nesta sexta-feira (17). Marina Silva (PV) aparece em terceiro lugar, com 8% das intenções de voto.

A margem de erro da sondagem é de 1,8 ponto percentual para mais ou para menos. A pesquisa foi feita do dia 11 a 14 de setembro.

Os números divulgados hoje apontam para uma vitória da candidata do PT no primeiro turno. Brancos e nulos chegam a 5% e indecisos, a 11%.

Na última sondagem do Vox Populi, divulgada no dia 17 de agosto, Dilma aparecia 16 pontos à frente de Serra. Ela tinha 45% e o tucano, 29%.

A pesquisa mais recente para a disputa presidencial, publicada na quinta-feira (16) pelo Datafolha, mostrou Dilma com 51% das intenções de voto. A petista aparecia 24 pontos à frente de Serra, que tinha 27%.

O Vox Populi ouviu 3.000 eleitores e a margem de confiança da pesquisa é de 95%. A pesquisa foi encomendada pela Rede Bandeirantes. O registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) foi feito no dia 11 de setembro com o número 30235/2010.

Postado em 17/09/2010 às 16:02 por Redação em Política

Frente de Lessa entra com representação no CNJ contra TRE-AL

Documento aponta parente de desembargadores no governo

Cortesia Alagoas 24 Horas

Uma reunião finalizada agora há pouco entre a coligação Frente Popular por Alagoas, que tem como candidato ao governo Ronaldo Lessa, e o departamento jurídico comandado pelo escritório de Brasília da coligação definiu que será feita, nas próximas horas, uma representação no CNJ contra o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas.

De acordo com uma fonte ouvida pelo Cadaminuto e que participou da reunião, a alegação é que o TRE estaria tomando decisões reiteradamente desfavoráveis à Frente Popular .

A reunião aconteceu logo após o Tribunal acatar o pedido do advogado da Frente pelo Bem de Alagoas, que tem como candidato ao governo Teotônio Vilela Filho, que retira mais de 10 minutos do tempo de TV de Ronaldo Lessa, conforme noticiou em primeira mão, na quarta-feira, o blog do professor Yuri Brandão, neste portal (a decisão pode ser lida aqui).

Ainda de acordo com a fonte, a representação está baseada em denúncias de nepotismo envolvendo desembargadores do TRE que teriam parentes no Governo do Estado. "Houve um processo de igual teor no qual a Frente de Téo não perdeu tempo."

Um dos casos citados e confirmados por esta fonte é o do próprio presidente do TRE, que teria um filho trabalhando na diretoria de um órgão do governo.

O Cadaminuto confirmou, ainda, que a coligação irá convocar uma coletiva na próxima segunda-feira para falar desse tema e de outros em uma pauta que ainda não foi definida.
 

Postado em 17/09/2010 às 11:49 por Redação em Política

MCCE espera goleada no STF em julgamento de Ficha Limpa

Pressão para por caso de Lessa na pauta aumenta

Internet

É grande a expectativa para o julgamento da próxima quarta-feira do recurso extraordinário apresentado pelo ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) sobre o indeferimento do registro de sua candidatura com base na Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10).

Mais que o caso particular de Roriz este é o primeiro julgamento no STF onde duas questões fundamentais a respeito da Lei estarão em pauta: a anualidade (se ela pode vigorar este ano) e a retroatividade (se ela pode alcançar candidatos que tenham penas anteriores à sanção da lei).

O MCCE que já estava confiante e reforçou este sentimento com a decisão de um dos ministros do STF que ainda não tinham se manifestado sobre o tema, Celso de Mello, que negou liminar a três políticos que recursavam no STF contra o indeferimento de suas candidaturas pela Ficha Limpa, entre eles o do ex-governador de Rondônia, Expedito de Lima.

Um dos coordenadores do Movimento, Adriano Argolo, explicou que não será surpresa se a votação no STF alcançar os números de 9x1 com Marco Aurélio de Mello sendo o único ministro a votar contrariamente a questão.

“Estamos trabalhando com a possibilidade de 7x2, ou na pior das hipóteses 6x3, como eles precisam de seis votos para reformar a lei eu diria que a situação é muito tranqüila e na quarta-feira teremos um dia histórico para a sociedade brasileira” disse Argolo.

Em relação ao caso do candidato ao governo Ronaldo Lessa no TSE ele disse que o MCCE nacional está ligando todos os dias para pressionar o ministro Carvalhido a colocar o projeto em pauta.

“Não temos dúvidas em relação à votação, será 5x2 como em todos os casos semelhantes, o que resta aos advogados de Lessa é tentar prorrogar a votação do caso, como o TSE limpou a pauta na semana passada certamente este caso também será julgado na próxima semana”, explicou mais uma vez Argolo.

Ainda de acordo com Argolo a pressão de todos os movimentos sociais que compõe o MCCE no Brasil é para que nenhum ministro peça vistas ao caso e atrase ainda mais o julgamento da questão, criando uma situação de incerteza jurídica.

 

Postado em 17/09/2010 às 11:47 por Redação em Política

Lula pede voto em Alagoas para candidato da chapa de Téo

O programa eleitoral gratuito de Alagoas trouxe uma cena inusitada, um pronunciamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo voto ao candidato ao Senado, Benedito de Lira  (PP).

Apesar do PP nacionalmente apoiar a candidata Dilma Roussef, em em Alagoas o partido faz parte da chapa de apoio ao candidato ao governo do PSDB, Teotônio Vilela, que por sinal também usa uma declaração do presidente o elogiando durante um evento em Palmeira dos Índios.

O presidente Lula já havia aparecido nos programas do senador Renan Calheiros do PMDB e de Ronaldo Lessa do PDT e vem sendo disputado por vários candidatos proporcionais que tentam por meio do senador Renan uma gravação de apoio a suas candidaturas no Guia Eleitoral.

A preocupação com a formação de uma boa bancada no Senado para dar sustentação a um cada vez mais provável governo de Dilma Roussef vem sendo uma das preocupações de Lula que não esconde de ninguém que se esforçará ao máximo para derrotar uma potencial opositora no Senado, Heloisa Helena do PSOL, que permanece em segundo em todas as pesquisas.

“Lula irá sim trabalhar diretamente para derrotar Heloisa em Alagoas e ele entrou na campanha de Biu de Lira justamente quando o candidato a senador do PP começa a crescer, vamos ver se isto vai ser determinante ou não para uma virada”, explicou um assessor do PP ao Cadaminuto.
 

Postado em 17/09/2010 às 08:03 por Redação em Política

Canuto não anuncia desistência após ligação de Renan Calheiros

Em entrevista à rádio ele anunciaria motivos da sua desistência

Carlos Alberto Canuto

Arquivo - CadaMinuto

O anúncio oficial da retirada da candidatura do deputado federal, Carlos Alberto Canuto (PSC) à Câmara Federal foi adiado mais uma vez. Na manhã desta sexta-feira (17), Canuto anunciaria os motivos de sua desistência, durante uma entrevista na Rádio Correio. O anúncio foi cancelado após ele receber um telefonema do Senador Renan Calheiros.

Conforme informações dadas pelo próprio deputado, Renan pediu para que antes de falar com a imprensa, Canuto fosse ao seu encontro ainda nesta manhã. Os dois estão reunidos no apartamento do senador.

Informações extra-oficiais dão conta que com a desistência, Canuto passaria a apoiar um outro candidato a deputado federal.

Postado em 17/09/2010 às 05:00 por Redação em Política

Delator liga Sarney a crise política no Amapá

Depoimento de novembro do ano passado do assessor jurídico da Secretaria da Segurança do Amapá Luiz Mário Araújo de Lima envolve o senador José Sarney (PMDB-AP) na indicação de um secretário estadual que supostamente blindou Waldez Góes e sua mulher junto à Polícia Federal. Além disso, cita o presidente do Senado em uma suposta fraude na contratação de um helicóptero para o governo estadual.

O secretário indicado em questão foi Aldo Ferreira, delegado da Polícia Federal e um dos presos na Operação Mãos Limpas. Segundo Araújo de Lima, a indicação de Aldo Ferreira foi uma retribuição por ele ter impedido que Waldez Góes e Marília, sua mulher, fossem alvo da Operação Antídoto, feita em 2007.

A Antídoto desbaratou uma quadrilha, que supostamente envolvia o secretário de Saúde do Amapá, de venda irregular de medicamentos ao governo estadual. O assessor afirmou que Ferreira "teria assumido o cargo em decorrência de favor prestado quando atuante da superintendência da Polícia Federal". Também disse que Góes e Marília "teriam sido observados recebendo dinheiro decorrente de fraude nas licitações e contratos" investigados pela operação. Sua indicação foi fechada no escritório do presidente do Senado, em Brasília, e com sua anuência, disse Araújo de Lima.

Mensalão de ex-governador era de R$ 500 mil, diz delator
O ex-governador do Amapá Waldez Góes (PDT), candidato ao Senado, recebia uma propina de R$ 500 mil mensais para manter um contrato de fornecimento de alimentos aos presos do Estado, segundo depoimentos dados à Polícia Federal. O assessor jurídico da Secretaria da Segurança Pública do Amapá Luiz Mário Araújo de Lima cooperou com a PF nas investigações da Operação Mãos Limpas. Os depoimentos, de novembro de 2009 e maio deste ano, foram obtidos pela Folha.

As apurações da PF apontaram para um suposto esquema de desvios de recursos públicos no Estado. Na semana passada, 18 pessoas foram presas -entre elas, Góes e Pedro Paulo Dias (PP), atual governador, que continuam detidos em Brasília. Nas palavras do assessor, a fraude no Iapen (Instituto de Administração Penitenciária do Estado) era "orquestrada" por Góes, sua mulher, Marília, pelo deputado federal Evandro Milhomen (PC do B) e por Francisco Odilon Filho, empresário e dono da Mecon, que fornece as marmitas para os presos.

Senador nega ter interferido em governo
O senador José Sarney (PMDB), por meio de nota da sua assessoria, negou que tenha interferido na escolha do secretário da Justiça e da Segurança Pública do Amapá, Aldo Ferreira, ou de qualquer outro secretário do Estado. Segundo a nota, o presidente do Senado também negou que tenha se reunido com políticos do Amapá para discutir a indicação do delegado para o cargo.