Postado em 06/07/2010 às 03:07 por Redação em Política

Após registro MCCE prepara lista dos Fichas Sujas em Alagoas

Grandes nomes estarão incluídos

Com o fim do prazo para o registro das candidaturas e de posse das informações sobre quem requereu o registro de candidatura o Movimento Contra a Corrupção Eleitoral(MCCE) prepara uma lista para ser enviada ao MPE com aqueles que na ótica da instituição infringiram a Lei da Ficha Limpa.

A divulgação será feita ainda esses dias, mas, o Movimento Contra a Corrupção Eleitoral irá aguardar que o Ministério Público Eleitoral faça as devida impugnações.

“Caso não sejam tomadas as medidas esperadas e fazendo as precisando as alegações, vamos obter a lista com o TRE para assim poder fazer uma avaliação criteriosa sobre esses candidatos”, declara o advogado do MCCE, Adriano Argolo.

Ainda Segundo Argolo, o MCCE não irá impugnar nenhuma candidatura: “não temos poder para isso nosso papel nós já cumprimos”, afirma ele.

Para o advogado o Supremo Tribunal Federal está de certa forma dividido sobre o posicionamento jurídico da Lei Ficha Limpa, alguns ministros opinam contra a liminar, enquanto outros opinam a favor.

“O STF mais cedo ou mais tarde vai decidir sua postura, mas a lei será cumprida este ano e em nenhum momento foi questionada a sua inconstitucionalidade, então nós estamos na expectativa.”

O Coordenador geral do MCCE/AL, Antonio Fernando da Silva, faz um apelo para que a população ajude a mudar o quadro político de Alagoas colocando pessoas sérias e honestas no poder.

“Vamos entrar com uma ação na Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) pedindo a impugnação das candidaturas”, afirma o coordenador geral do MCCE/AL.

Quem tiver denuncias de compra de votos deve mandar e-mail para comite9840-al@hotmail.com ou ligar para 9115-6457, acrescenta o coordenador.
 

Postado em 06/07/2010 às 02:07 por Redação em Política

Ficha Limpa: TSE mantém inelegibilidade de sete candidatos

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandwoski, manteve nesta segunda-feira (5) a inelegibilidade de sete pré-candidatos por conta da Lei do Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10). Eles entraram com pedidos de liminares e recursos para conseguir o registro de candidatura, apesar de terem sido condenados por órgãos colegiados nos casos que a nova legislação prevê.

Segundo o TSE, o ministro afirmou que não havia argumento jurídico plausível para suspender as inelegibilidades. Por conta disso, decidiu rejeitar as liminares. A Lei do Ficha Limpa proíbe que pessoas com condenações por órgãos colegiados se candidatem a um cargo eletivo. Também prevê que políticos que renunciaram para evitar processos de cassação.

Um dos casos analisados foi do deputado distrital Cristiano Araújo (PTB). Condenado por abuso de poder econômico em 2007 pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) em 2007, ele teve como pena a decertação da perda dos direitos políticos por três anos. Na ação, ele argumentou que foi escolhido em convenção para tentar a reeleição.

Nos outros casos, o ministro negou liminar na ação cautelar proposta por Ana Maria Resende Vieira que queria suspender decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG). O processo trata-se de doação de recursos de campanha acima do limite legal. Charly Jhone Santos de Sousa, José Carlos Moretes, vereador de Colombo (PR), Amaro Alves Saturnino, de Wellington Gonçalves de Magalhães e de Raimundo Nonato Cardoso.

Postado em 05/07/2010 às 18:07 por Redação em Política

Veja a lista completa dos candidatos a eleição em Alagoas

Prazo encerrou às 19 horas

Finalmente acabou às 19 horas de hoje o prazo para que os partidos e coligações registrassem seus candidatos as vagas de governador, senador, deputados estaduais e federais. Em Alagoas cinco chapas apresentam candidatos a governador, senador e deputados federais, e sete a deputados estaduais, já que o PPS e o PT lançam seus candidatos sozinhos.

Além do PCB e do PSOL, que chamou sua composição de Alagoas dos Nossos Sonhos, três coligações se formaram; A Frente Popular pró Dilma e Ronaldo Lessa (PT,PMDB,PC do B, PV, PR, PT do B, PDT), a Frente pelo Bem de Alagoas (PSDB, DEM, PSB, PSC, PP, PPS) e a O Povo No Governo (PTB, PRB, PSL, PMN, PHS e PTC)

- Falta nesta lista abaixo os candidatos da coligação PRTB-PTN e PV (João Beltrão, Almir Lira, Cacalo e outros), além do resto da chapa do PPS

Veja abaixo a lista completa dos candidatos:

Candidatos da Frente por Alagoas (PDT, PT, PMDB, PC do B, PR, PSDC, PRP)

Governo - Ronaldo Lessa (PDT), Vice – Joaquim Brito (PT)
Senado – Renan Calheiros (PMDB), Eduardo Bomfim (PC do B)
Câmara Federal
PDT – Jurandir Boia, PT – Paulão, Pinto de Luna, Gilberto Coutinho, Judvan, PR – Mauricio Quintella. Elias Barros, PMDB – Olavo Calheiros, Joaquim Beltrão, Major Fragoso
Assembléia Legislativa
PDT – Rosiana Beltrão, Sergio Toledo Isnaldo Bulhões, Jota Cavalcante, Valdecir Fernandes, Junior Miranda, Jailton Rocha, professor Irapuan, Professor Jonatas, José Inácio, Adelson Oliveira, Quitéria, Ismael Pereira, Gervanio, Eraldo Freitas, PRP – Marcelo Santos, Nivaldo Neto, PCdoB – Edvaldo Nascimento, Wainar Silva, Maria, Antunes da Silva, Pituba, Carlos Alberto da Silva, Mirele Francisca, PR – J. Andrade, Izaias Antonio, Galvão, Flaviel dos Santos, Reginaldo Ribeiro, Magaiver Kelmon, João `Pinto, Juliano Quintella, PSDC –Edvaldo Oliveira, Engenheiro Franklin, Ednilton Oliveia, Dr. Daniel, PMDB – Renan Filho, Flavia Cavalcante, Luis Dantas, João dos Santos, Tarcisio Freire, Osmar dos Santos, Marilene Batista, PTdoB – Antonio Albuquerque, Ricardo Nezinho, Alves Correia, Carlos Cavalcante, Rosinha da Adefal

PT ( Assembleia Legislativa)
PT – Patricia Sampaio, Michele Pontual, Ronaldo do INSS, Maria Cícera. Genildo Amorim, Roberto Carlos, José Maria, Wagner Simas, Silvania Pinheiro, Geovanio Renovato, Izac Jackson, Ailton Avlis, Wellington Brito, Jorge Seixas. Edmilson Vieira, Honel Cavalcante, Josefa França, Marcos Madeira, Judson Cabral, Genizete sarmento, Ib Pita, Dr.Paulo do PT, Manuele Freire


Alagoas dos Nossos Sonhos (PSOL )
Governo: Mário Agra , Vice: Maurício Dias
Senado: Heloísa Helena
Deputados federais: Maria das Graças, Moraes Júnior, Alexandre Fleming, Francisco de Assis, Cauby Monteiro, Glenda Lúcia, Guido Falcão, José Cícero, José Amaro, José Petrúcio, Lúcia de Fátima, Wellington da Silva, Yuri Patrice.
Deputados estaduais: Antônio Saturnino Mendonça Neto, Benedito Lins, Cauby da Mara, Cristiane Carneiro, Erivaldo dos Santos, Gandhi Gouveia, Genecy Rodrigues, Gerilo Alves, Eliana Maria, Hélio Luiz Moraes, Hugo Cabral, Indira Ivanize Xavier, Iracema de Lima, José Adeilton, José Hélio Torres Laranjeiras, Josuel Fernandes, Judite Ferreira, Juraci Costa Brás, Juvenal Davileano, Liliane Alves, Luciene Rodrigues, Luzia Ramalho, Márcio Guedes, Marcos Rodrigues, Maria Luciene, Maria Nireida, Marilene Moura, Milande Diniz, Oldembugo da Silva, Olga Tatiane, Orival José de França, Ricardo Barbosa, Rilson Ferreira, Rogério Café, Rubens Ferraz, Beto Brito, Verônia Valeska, Wellington Monteiro.


Frente pelo Bem de Alagoas (PSDB, DEM, PSB, PSC, PP, PPS)
Governo: Teotonio Vilela Filho (PSDB), Vice: José Thomáz Nono (DEM).
Senado: Benedito de Lira (PP) e José Costa (PPS).
Deputado federal: Alexandre Toledo (PSDB), Arthur Lira (PP), Carlos Alberto Canuto (PSC), Givaldo Carimbão (PSB), João Caldas (PSDB), Jorge VI (PSC) e Rui Palmeira (PSDB).
Deputado estadual: Edval Gaia (PSDB), Fernando Toledo (PSDB), Gilvan Barros (PSDB), Inácio Loyola (PSDB), Joãozinho Pereira Filho (PSDB), Jeferson Moraes (DEM), João Luiz (DEM), Alberto Sexta-Feira (PSB), Kátia Born (PSB), Marcos Ferreira (PSDB), Nelito Gomes de Barros (PSDB), Temóteo Correia (DEM), Tereza Nelma (PSB) e Thaise Guedes (PSC)
PPS (Deputado Estadual): Régis Cavalcante, Marcos Barbosa, França Moura, Silvano Barbosa, Severino Pessoa (incompleto...)

 

O Povo No Governo (PTB, PRB, PSL, PMN, PHS e PTC)
Governo: Fernando Collor (PTB)
Vice: Galba Novaes (PRB)
Senado: Álvaro Vasconcelos (PTB) e Flávio Emílio Arruda (PTB)
Deputado federal: Chico Tenório (PMN), Ada Mello (PTB), Célia Rocha (PTB), Antônio Carlos Chamariz (PTB), Zé Muniz (PRB), João Lyra (PTB), Osvanilton Adelino de Oliveira (PMN), João Mendes (PRB).
Deputado estadual: Dino Filho (PMN), José Maria Tenório (PMN), Dudu Holanda (PMN), Rubem Natário (PMN), Castelo (PMN), Marcelo Gouveia (PRB), Cícero Ferro (PMN), Manoel Santana (PSL), Marcelo Victor (PTB), Maurício Tavares (PTB).


Partido Comunista Brasileiro (PCB)
Governo: Tony Clóvis
Vice: Luciene Maria
Senado: Diógenes Paes
Deputado federal: Marcos Serafim
Deputado estadual: Denise Gomes, Sebastião Leodino e Paulo Roberto.
 

Postado em 05/07/2010 às 18:07 por Redação em Política

TSE recebe nove registros de candidaturas à Presidência

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu nove pedidos de registro de candidaturas à Presidência até as 19h desta segunda-feira (5), prazo-limite para as coligações e partidos indicarem seus candidatos.

O TSE tem agora até 5 de agosto para decidir sobre todos os pedidos recebidos. Caso a solicitação seja negada, o tribunal tem até 19 de agosto para julgar eventuais recursos. Uma lista prévia com todos os políticos que solicitaram registro será divulgada no dia 8 julho pela Justiça Eleitoral.

Os nomes de candidatos aprovados em convenção que não tenham sido protocolados pelos partidos terão 48 horas para solicitar a inclusão.

O primeiro registro de candidatura foi feito na sexta-feira (2), quando começou a valer o prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral, pela concorrente do PV, Marina Silva. Marina declarou patrimônio de R$ 149,2 mil e uma estimativa de gastos de R$ 90 milhões durante a campanha.

Nesta segunda (5), outros oito candidatos protocolaram pedido de registro na Justiça Eleitoral.

A candidata do PT, Dilma Rousseff fez seu registro pela manhã. O vice dela será o deputado Michel Temer (PMDB-SP). O PT estimou os gastos de campanha em R$ 157 milhões.

José Serra, candidato do PSDB deixou para fazer seu registro uma hora antes do término do prazo. Serra terá como vice o deputado federal Indio da Costa (DEM-RJ). O PSDB declarou que deve gastar R$ 180 milhões na campanha.

O PSTU apresentou às 11h23 o registro de candidatura de José Maria de Almeida, o Zé Maria, e de sua vice, Cláudia Durans.

O candidato do PCO à Presidência da República, Rui Costa Pimenta, teve seu pedido de registro feito por volta de 13h. Ele terá Edson Dorta Silva como vice em sua chapa.

O Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) protocolou pedido, às 13h, com a indicação de Levy Fidelix. Ele tem como vice Luiz Eduardo Ayres Duarte.

José Maria Eymael solicitou registro como candidato do Partido Social Democrata Cristão (PSDC).

O candidato do Partido Comunista Brasileiro (PCB) à Presidência da República, Ivan Pinheiro, apresentou pessoalmente nesta segunda-feira (5) seu pedido de registro de candidatura ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O PSOL foi o último a apresentar nesta segunda-feira (5) o pedido de registro de candidatura ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Plínio de Arruda Sampaio vai concorrer com Hamilton Assis como vice na chapa.

Postado em 05/07/2010 às 15:07 por Redação em Política

Atrito entre presidente de partido e Lessa não compromete aliança

Arquivo - CadaMinuto

Procurado pelo CadaMinuto, na manhã desta segunda-feira (05), o deputado Antonio Albuquerque (PTdoB) não quis se pronunciar sobre eleição. Parece até que ele estava prevendo que algo estava para acontecer. Durante a tarde, foi veiculada a informação do bate-boca entre o presidente do partido, Marcos Toledo, e o candidato ao Governo, Ronaldo Lessa (PDT). A assessoria não confirma as vias de fato, mas, quem estava presente, comprovou o atrito físico entre as partes.

A assessoria informou que o incidente não passou de uma discussão aquecida de uma 'Frente Popular' que ainda não registrou suas atas. Mesmo com todas estas coincidências, a assessoria se negou a confirmar um desentendimento técnico-eleitoral.

Paralelamente à informação do ocorrido, circulou uma possível desistência de Albuquerque e seus aliados. Chegou até a ser pontuadas novas alianças: com Collor ou com os tucanos, liderado por Vilela. Mas, os ânimos foram acalmado e as ameaças cessadas. Até que se prove o contrário, a aliança PTdoB e Lessa segue mantida: até que a morte os separe.

Postado em 06/07/2010 às 00:07 por Redação em Política

Em Minas, PCdoB vence PMDB na briga por segundo nome ao Senado

A queda de braço entre PMDB e PCdoB sobre a indicação do segundo nome na disputa ao Senado pela coligação dos partidos da base aliado em Minas Gerais foi vencida pelos comunistas. O segundo concorrente será Zito Vieira, que disputará a vaga após derrotar os peemedebistas que insistiam em ocupar este espaço na disputa. Venceu o argumento de PCdoB e dos petistas, também aliados da coligação, de que o PMDB já havia sido beneficiado com a indicação do senador Hélio Costa para cabeça de chapa na disputa ao governo de Minas.

Durante registro de sua candidatura na sede do PT estadual, no domingo, Vieira comemorou a decisão por sua candidatura. Para ele, esta é uma vitória da composição e do partido, que garante algum espaço na disputa eleitoral no Estado. O comunista registrou sua candidatura ao lado do primeiro candidato ao Senado pela coligação, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), para quem o nome do PCdoB somará forças à aliança.

Na semana passada, dirigentes petistas chegaram a defender publicamente que a vaga ficasse com os comunistas. O ex-prefeito de Juiz de Fora, Tarcísio Delgado, chegou a ser apontado como o candidato do PMDB ao Senado. Também cotado estava o ex-senador Welington Salgado. No entanto, o PCdoB fez com que os aliados cumprissem o acordo inicial da coligação, que garantia a vaga para Zito Vieira.

A queda de braço entre PMDB e PCdoB sobre a indicação do segundo nome na disputa ao Senado pela coligação dos partidos da base aliado em Minas Gerais foi vencida pelos comunistas. O segundo concorrente será Zito Vieira, que disputará a vaga após derrotar os peemedebistas que insistiam em ocupar este espaço na disputa. Venceu o argumento de PCdoB e dos petistas, também aliados da coligação, de que o PMDB já havia sido beneficiado com a indicação do senador Hélio Costa para cabeça de chapa na disputa ao governo de Minas.

Durante registro de sua candidatura na sede do PT estadual, no domingo, Vieira comemorou a decisão por sua candidatura. Para ele, esta é uma vitória da composição e do partido, que garante algum espaço na disputa eleitoral no Estado. O comunista registrou sua candidatura ao lado do primeiro candidato ao Senado pela coligação, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), para quem o nome do PCdoB somará forças à aliança.

Na semana passada, dirigentes petistas chegaram a defender publicamente que a vaga ficasse com os comunistas. O ex-prefeito de Juiz de Fora, Tarcísio Delgado, chegou a ser apontado como o candidato do PMDB ao Senado. Também cotado estava o ex-senador Welington Salgado. No entanto, o PCdoB fez com que os aliados cumprissem o acordo inicial da coligação, que garantia a vaga para Zito Vieira.

Postado em 05/07/2010 às 20:07 por Redação em Política

Presidente da Câmara Municipal assume prefeitura de Campos no lugar de Rosinha Garotinho

O presidente da Câmara dos Vereadores de Campos dos Goytacazes, Nelson Nahim de Oliveira, assumiu hoje (5) a prefeitura do município do norte fluminense. O vereador ocupou o lugar de Rosinha Garotinho, cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), por uso indevido dos meios de comunicação para sua candidatura nas eleições municipais de 2008.

Como seu vice, Francisco de Oliveira, também foi cassado no mesmo processo, o presidente da Câmara Municipal teve que assumir a prefeitura. A decisão do TRE-RJ foi tomada na última segunda-feira (28). Na última quinta-feira (1º), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou uma liminar de Rosinha.

De acordo com a assessoria de imprensa da ex-prefeita, a expectativa é que a Justiça possa reverter a situação e reconduzi-la ao cargo. Ainda de acordo com a assessoria, a acusação que pesa sobre Rosinha, de ter dado uma entrevista a uma rádio, é passível de punição com multa e não afastamento do cargo.

Rosinha entrou com uma ação cautelar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) hoje (5) para análise de reconsideração da determinação do ministro do TSE Marcelo Ribeiro. Além da cassação, o TRE determinou a inelegibilidade de ambos durante três anos, o que inviabilizará uma possível candidatura até 2011.

Nelson Nahim é irmão de Antony Garotinho, marido de Rosinha que também foi condenado pelo TRE por abuso econômico, mas cuja decisão foi revertida pelo TSE. Nahim assumiu o cargo de prefeito hoje em sessão extraordinária na Câmara.

“Serei um prefeito de todos os campistas. Vamos saber se tem algo de errado em algum setor e corrigir. Vamos ouvir mais os setores e fazer de tudo para ser o melhor possível”, afirmou Nahim em seu discurso de posse.

Com a posse de Matoso como presidente interino, a vice-presidência da Câmara fica vaga, permanecendo como primeiro e segundo secretários, respectivamente, os vereadores Altamir Bárbara e Antônio Marcos da Silva.

Postado em 05/07/2010 às 18:07 por Redação em Política

Dilma promete priorizar reforma tributária

A candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse que, se eleita, tratará a reforma tributária como uma das prioridades de seu governo. Para Dilma, a simplificação do sistema tributário é condição básica para dar maior competitividade ao setor produtivo brasileiro."Não acredito que daremos um salto de competitividade com nosso atual sistema tributário, que considero caótico, tanto pela sobreposição de tributos como pela falta de clareza", afirmou a ex-ministra da Casa Civil ao participar, hoje (5), de um almoço com representantes das principais empresas do país.

Perguntada sobre como e em quanto tempo levaria para concretizar propostas como a desoneração dos investimentos e a simplificação do sistema tributário, Dilma evitou fixar prazos e lembrou que o assunto precisará ser negociado tanto com os partidos da base aliada quanto com os da oposição. Ela ainda destacou a necessidade de se encontrar fórmulas para desonerar a folha de pagamentos das empresas sem mexer em direitos sociais e compensações para as eventuais perdas de arrecadação no primeiro momento.

"Qualquer reforma vai implicar diálogo e debates. Lógico que quanto mais rápido [for à votação no Congresso] melhor, até para aproveitarmos a legitimidade conferida por uma vitória eleitoral. Agora, se eu der prazos não estarei sendo correta, pois isso dependerá da futura composição do Congresso e de variáveis sobre as quais não temos controle".

Após afirmar que o Brasil sofreu "um apagão de investimentos" em obras de melhorias da infraestrutura nos 20 anos que antecederam o primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma disse que a situação melhorou "mais de 100%" nos últimos oito anos. Ainda assim, reconheceu a necessidade de melhorar a gestão e aprimorar os investimentos públicos, sobretudo no setor aeroportuário.

Dilma também citou a necessidade de se reduzir o grau de endividamento público, a fim de permitir ao país fixar taxas de juros próximas às internacionais. "O objetivo é sempre melhorar, porque se alguém achar que está tudo feito não consegue ir adiante".

O almoço foi organizado pelo Grupo de Líderes Empresariais, que conta com 652 empresas associadas que, juntas, representam 44% do Produto Interno Bruto (PIB) privado do país e que faturam, cada uma, um mínimo de R$ 200 milhões ao ano. O grupo é presidido pelo empresário João Dória Júnior, um dos organizadores do Movimento Cansei, criado em 2007 e que criticou o caos aéreo e a corrupção.

Entre as perguntas feitas por participantes, uma dizia respeito à relação do governo federal com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), historicamente ligado ao PT. "Acho que é preciso fazer uma distinção: movimento é movimento, governo é governo. Eu não sou do MST, mas acho que não podemos compactuar com ilegalidade. Invadiu edifício público e propriedade que não pode invadir, tem que haver clareza e eu acho que o governo Lula não deixou a coisa solta. Mas também não vamos reprimir o movimento quando ele estiver somente reivindicando", disse Dilma, defendendo que o governo Lula teria instituído a "paz no campo" por meio de políticas sociais que deram uma melhor condição de vida ao trabalhador rural, esvaziando parte das reivindicações do movimento.

Postado em 05/07/2010 às 14:07 por Redação em Política

Campanha eleitoral começa dividida entre Dilma e Serra

O país começa amanhã oficialmente a campanha para as eleições presidenciais de outubro, que iniciará com um cenário absolutamente polarizado e com Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) empatados nas intenções de voto.
As eleições que sucedem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometem ser as mais apertadas da história e serão as primeiras, desde 1989, nas quais Lula não será candidato.

Como herdeira de seu legado político, Lula escolheu Dilma, uma economista de 62 anos que em seu Governo ocupou cargos de ministra de Minas e Energia e ministra-chefe da Casa Civil.

A oposição optou por José Serra, ex-governador e prefeito de São Paulo, ex-ministro do Planejamento e Orçamento, ministro da Saúde e que já foi derrotado por Lula nas presidenciais de 2002.

As últimas pesquisas mostram uma dura luta pelos votos e dizem que tanto Dilma como Serra começam a campanha com intenções de voto próximas a 40%.

O terceiro lugar na preferência do povo é de Marina Silva (PV), que foi ministra do Meio Ambiente durante os primeiros seis anos de gestão de Lula e abandonou o Governo e 30 anos de militância no PT por suas diferenças com Dilma. As pesquisas lhe atribuem intenções de voto de cerca de 10%.

Além de Dilma, Serra e Marina, outros nove aspirantes à Presidência inscreveram suas candidaturas, que em conjunto não chegam a somar mais de 2% de intenções de voto nas pesquisas.

A partir de amanhã, os milhares de candidatos do país poderão, segundo a lei eleitoral, organizar comícios e todos os tipos de atos nas ruas, assim como divulgar propaganda através da internet, que com cerca de 60 milhões de usuários no Brasil pode ser uma poderosa ferramenta de campanha.

No entanto, os analistas acham que o principal meio de difusão será ainda a televisão, único com cobertura nacional e no qual os candidatos só poderão apresentar suas propostas a partir do dia 17 de agosto.
 

Postado em 05/07/2010 às 10:07 por Redação em Política

"Renan tirou Ronaldo Lessa e o fez de cavalo nestas eleições", dispara Nonô

Vice da chapa de Vilela acredita que eleição será acirrada para o Senado

Durante a vista de José Serra (PSDB), o seu coordenador estadual de campanha, José Thomás Nonô (DEM), aproveitou e comentou sobre o cenário político em Alagoas. De acordo com o vice-governador de Vilela, o páreo não será nada fácil. “A vitrine será para cada um mostrar o que fez”, declarou o ex-deputado federal.

Ele não fundamenta seu argumento em expectativas, ‘todos já tivemos, pelo menos, quatro anos de mandato’. Nonô acredita que por este motivo, o eleitor terá sua análise, dos candidatos, facilitada. “Neste ponto, Téo sai em larga vantagem sobre os concorrentes. E, principalmente, ele sai do palácio muito bem avaliado”, explicou o vice.

Já com relação a Almeida, o ex-deputado federal não arrisca opinar. Mesmo indo à convenção de Vilela, o prefeito declarou apoio restrito ao próprio José Thomás e à candidatura do presidente de seu partido, Benedito de Lira (PP). “Eu seria leviano se apontasse que Almeida apóia algum dos lados”, concluiu.

Rasteira Peemedebista

Nonô evidencia que o senador Renan Calheiros (PMDB) operou junto ao presidente Luís Inácio ‘Lula’ da Silva (PT), para tirar Ronaldo Lessa (PDT) da ‘jogada’. “Renan tirou o Lessa e o fez de cavalo, para cavalgar durante estas eleições”, disparou.

Aproveitando o assunto, o vice de Vilela revelou que não há nada definido – principalmente para o Senado. Ele colocou em xeque a hegemonia de Heloísa Helena (PSOL) e do próprio Calheiros. “Não tem ninguém eleito, vai ser pauleira. Disso eu não tenho a menor dúvida”, proclamou. Se referindo à confiança dos candidatos de sua chapa, Benedito de Lira (PP) e José Costa (PPS), com larga vantagem no interior do estado.

Postado em 05/07/2010 às 09:07 por Redação em Política

Givaldo Carimbão não teme candidatura de concorrente católica, Ada Melo

PSB confirma candidatura de Kátia, Sexta e Nelma em apoio a Téo

Divulgação - assessoria

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) confirmou apoio integral à reeleição de Teotonio Vilela Filho (PSDB). A informação foi confirmada pelo candidato a deputado federal Givaldo Carimbão. O deputado federal do partido revelou, com exclusividade, que sua legenda deve apostar, no âmbito estadual, na ex-prefeita Kátia Born, no deputado estadual Alberto Sextafeira , além da vereadora Tereza Nelma.

Em entrevista ao Cada Minuto, ele confessou que não se sente ameaçado pela candidatura de Ada Melo – concorrente direta no meio católico, pela chapa de Fernando Collor (PTB). “Ela é minha companheira. Conheço o seu trabalho de longa data: sempre competente e séria. A sua presença no pleito só tem a enriquecer a disputa. Afinal, o sol nasce para todos”, pontuou o candidato.

Carimbão defende que a campanha, deste ano, não pode ser apelativa. O deputado federal defende que o discurso seja propositivo, sem baixarias. “É importante ter decência na campanha. Essas eleições serão diferentes de todas. Temos importantes nomes que merecem respeito”, declarou.

Ele se refere ao fato de pelo menos três candidatos ao Governo do Estado já terem passado pelo Palácio República dos Palmares. “Quem já teve mandato tem que mostrar o que fez. Nesse sentido, Vilela e Lessa saem na frente. As administrações dos dois foram recentes, podem ser alvos de comparativos. Já Collor, pertence à outra geração, tem mais de duas décadas. Ele vai ter que suar um pouco mais a camisa” concluiu o candidato.

Postado em 05/07/2010 às 07:07 por Redação em Política

PT veta parceria com PV e marcha só na proporcional estadual

O Partido dos Trabalhadores (PT) não autorizou a coligação de seus candidatos com o PV – na proporcional estadual. O desejo expresso por alguns nomes petistas, durante a convenção da ‘Frente por Alagoas’, caiu por terra com a orientação do diretório nacional: impedindo seus partidários de coligarem com partidos oposicionistas à presidência.

Com isso, o partido também marcha só no âmbito estadual. De acordo com o coordenador, Marcelo Nascimento, o partido lança 23 candidaturas para a Casa Tavares Bastos (confira abaixo a lista completa). “Essa determinação foi acordada internamente. Não houve nenhuma resistência contrária a esta decisão”, explicou.

Assim, os petistas saem do rolo compressor – formado por PDT, PMDB, PC do B e PR – que preocupava os candidatos: principalmente os mais novos. Em entrevista exclusiva ao CadaMinuto, o candidato Ronaldo Medeiros alertou sobre a pressão que o partido sofria por parte do PDT e PMDB, para que continuassem ao seu lado, inclusive no âmbito estadual.

“Essa negociação é uma via de mão única. Não dá para concorrer com Renanzinho e Isnaldinho. Vamos ser engolidos. Temos que ir para onde temos mais chances”, declarou o candidato.

-- Confira os candidatos do PT para a Casa Tavares Bastos

Roberto Teixeira

Judson Cabral (Reeleição)

Marquinhos Madeira

Ernandi Malta

Ronaldo Medeiros

Patrícia Sampaio

Alysson Cardoso

Ailton Avílis

José Cícero

Wagner Simas

Genisete Lucena

Dr. Paulo

Dr. Romel Cavalcante

Dr. Wellington Bento

Geovani

Edmilson Lira

Michele Pontual

Jorge Sexto